Desinformação se combate com informação de qualidade

A pandemia de COVID-19 deixou clara a importância do acesso a informações confiáveis e atualizadas para a tomada de decisões melhores no seu dia a dia. Os produtos do Google são feitos para facilitar o acesso a uma ampla variedade de informações e perspectivas para que todos possam desenvolver o próprio ponto de vista e fazer escolhas conscientes.

Sabemos que encontrar a informação que importa para você não é uma tarefa simples quando pensamos em todo conteúdo disponível na internet hoje. Por isso, nossos produtos também são projetados para destacar o conteúdo produzido por fontes oficiais, como a Organização Mundial de Saúde e órgãos governamentais, e empresas jornalísticas de todos os tamanhos, como jornais locais e portais de notícias que são lidos no país todo.

Conectar você a informação útil e confiável é uma das principais maneiras para combatemos a desinformação. Mas não é só isso. Também enfrentamos esse problema removendo de nossas plataformas conteúdos que violam nossas políticas, como, por exemplo, anúncios que incentivem as pessoas a não buscar tratamento médico ou que afirmam que substâncias nocivas fazem bem à saúde.

Nossa estratégia de combate à desinformação inclui o apoio à produção de jornalismo e ao trabalho das agências de checagem de fatos (saiba mais sobre como trabalhamos com parceiros de notícias). Além disso, investimos em organizações dedicadas à promoção de educação midiática, que ensinam as pessoas a verificarem informações e a pensar duas vezes de compartilhar algum conteúdo, como você aprenderá abaixo.

Quatro passos para checar informação

O conteúdo abaixo foi traduzido e adaptado pelo projeto Educamídia, que conta com apoio financeiro do Google.org. Veja essas e outras dicas no site do projeto.

  • Pause

    Pause

    Olhe um pouco para essa mensagem.

  • Investigue a fonte

    Investigue a fonte

    O que você sabe sobre quem escreveu ou publicou?

  • Busque informações mais completas

    Busque informações mais completas

    Onde mais essa informação pode ser encontrada?

  • Conheça o contexto

    Conheça o contexto

    Qual é a história completa?

  1. Ao começar a ler uma página, pause.

    Você conhece e confia neste site ou na fonte da informação? Se não conhece, não compartilhe ou passe adiante a informação. Vá para os próximos passos para tentar saber mais claramente o que está lendo. Se em algum momento se sentir perdido, ou se afastar do seu objetivo inicial, pause e comece de novo.

  2. Em seguida, investigue a fonte.

    Quem está dizendo isso? Quais as suas qualificações ou motivações? É um prêmio Nobel? Um site de teorias da conspiração? É alguém que pode ter uma agenda comercial ou política implícita? É claro que até um prêmio Nobel pode estar enganado, e que organizações e empresas com interesses políticos ou comerciais publicam muitas informações de qualidade. Ainda assim, antes de ler, procure conhecer melhor quem escreveu/publicou. Vale a pena gastar alguns segundos para estabelecer se a fonte em questão é confiável ou relevante, e até mesmo se o texto merece a sua atenção.

  3. Busque informações melhores.

    Outra estratégia é buscar a mesma informação em outras fontes que você conhece e nas quais confia. Qual a melhor fonte de informação que você consegue encontrar sobre isso? Faça uma busca e analise os resultados. Tente encontrar uma cobertura mais confiável, mais aprofundada ou mais equilibrada. Melhor ainda, procure descobrir se há consenso sobre essa afirmação. Você não precisa concordar, mas conhecer o histórico e o contexto de determinada afirmação irá lhe ajudar a ter uma melhor avaliação.

  4. Encontre o contexto original da informação.

    De forma intencional ou não, a internet pode ser um “telefone sem fio”. Afirmações, dados e imagens muitas vezes são retirados de seu contexto original e apresentados de forma isolada, oferecendo um recorte da realidade. Outras vezes, podem ter sido editados para criar uma nova mensagem. Elementos deixados de fora de uma imagem ou vídeo, legendas que não combinam com o que está na foto ou informações científicas superficiais são exemplos de mensagens descontextualizadas. Procure a informação completa.

Quer saber mais? Aprenda seis maneiras de usar a Busca do Google para verificar fatos e combater a desinformação.

Como valorizamos a qualidade da informação

Conheça os quatro princípios que guiam nosso compromisso de valorizar a informação de qualidade em nossos produtos e também a maneira como protegemos as pessoas de conteúdo duvidoso:

Remover

Cada um dos nossos produtos e serviços possui políticas que determinam como e por quem podem ser usados. Tomamos medidas contra conteúdo e comportamentos que desrespeitam nossas regras e realizamos dezenas de milhões de ações todos os dias contra conteúdo que não obedece às nossas diretrizes.

  • Somente em 2019, removemos mais de 30 milhões de vídeos do YouTube por violação das nossas diretrizes da comunidade.
  • 2,7 bilhões de anúncios foram bloqueados ou removidos globalmente em 2019. Só no Brasil, entre abril e junho de 2020, removemos anúncios de mais de 600 mil páginas e de 16 mil domínios por violação de políticas
  • Somos pioneiros na divulgação de relatórios de transparência contendo, por exemplo, dados sobre remoções de conteúdo ou solicitações de informações de usuários feitas por autoridades governamentais -- no Brasil, entre julho e dezembro de 2019, foram mais de 3700 pedidos desse tipo.
  • Também removemos mais de 75 milhões de comentários indevidos do Google Maps.

Saiba mais sobre as políticas das nossas plataformas aqui.

Recomendar

Destacamos fontes confiáveis e com conteúdo relevante quando as pessoas utilizam nossas plataformas. Para isso, primeiro tentamos entender a intenção do usuário. Em seguida, nossos sistemas buscam sinais que possam ajudar a determinar a credibilidade e a relevância das páginas sobre aquele tema, para podermos priorizar as fontes disponíveis mais adequadas. Para entender mais sobre como funciona a Busca do Google, lançamos em outubro o documentário “Trilhões de Perguntas, Nenhuma Resposta Fácil” (disponível com legendas em português).

Estamos sempre melhorando esses sistemas de classificação e desenvolvendo novas funcionalidades em nossos produtos para conectar as pessoas com informação de qualidade:

  • Em 2019, realizamos mais de 464.065 experimentos com avaliadores externos treinados na Busca do Google e com testes em tempo real, o que resultou em mais de 3.620 melhorias nesse produto. É como se fizéssemos mais de 10 melhorias por dia, durante um ano.
  • Criamos selos dentro do Google Notícias para ajudar as pessoas a identificarem reportagens cujas informações tenham sido verificadas por organizações independentes.
  • Desenvolvemos as prateleiras Notícias Principais e Últimas Notícias para ajudar os espectadores do YouTube a encontrar informações de fontes confiáveis na página inicial e também quando pesquisam sobre tópicos relevantes.
  • Quando uma notícia foi verificada por alguma agência parceira do Google, o YouTube pode exibir um painel de checagem de fatos que fornece mais contexto sobre o assunto. Esse recurso mostra se a declaração relacionada à pesquisa é verdadeira, falsa ou algo como "parcialmente verdadeira", de acordo com a verificação.

Reduzir

Trabalhamos para reduzir a propagação de informações potencialmente prejudiciais sempre que exibimos um conteúdo recomendado:

  • Em 2019, demos início a mais de 30 mudanças nos nossos sistemas de recomendação do YouTube, para reduzir as recomendações de conteúdos duvidosos que sejam prejudiciais.
  • Globalmente, conteúdo que quase viola as diretrizes do YouTube representa menos de 1% do que é recomendado por nossos sistemas.

Recompensar

Estabelecemos um alto padrão de qualidade e confiabilidade para editores e criadores de conteúdo que queiram monetizar ou anunciar conteúdo. Não queremos gerar receita financeira para nós, ou para outros negócios, que tenha como origem conteúdo ou comportamento prejudicial:

  • Em 2019, tomamos medidas contra aproximadamente um milhão de contas de anunciantes inadequadas. Também encerramos mais de 1,2 milhões de contas de editores e removemos os anúncios de mais de 21 milhões de páginas que usam nossos serviços de publicidade, devido a violações das nossas políticas.
  • Desde 2018, o YouTube adotou critérios mais rígidos nos requisitos para que um criador gere receita na plataforma. Além disso, esses canais estão sujeitos a revisões para garantir que continuem de acordo com nossas políticas.
Quatro passos para checar informação

O conteúdo abaixo foi traduzido e adaptado pelo projeto Educamídia, que conta com apoio financeiro do Google.org. Veja essas e outras dicas no site do projeto.

  • Pause

    Pause

    Olhe um pouco para essa mensagem.

  • Investigue a fonte

    Investigue a fonte

    O que você sabe sobre quem escreveu ou publicou?

  • Busque informações mais completas

    Busque informações mais completas

    Onde mais essa informação pode ser encontrada?

  • Conheça o contexto

    Conheça o contexto

    Qual é a história completa?

  1. Ao começar a ler uma página, pause.

    Você conhece e confia neste site ou na fonte da informação? Se não conhece, não compartilhe ou passe adiante a informação. Vá para os próximos passos para tentar saber mais claramente o que está lendo. Se em algum momento se sentir perdido, ou se afastar do seu objetivo inicial, pause e comece de novo.

  2. Em seguida, investigue a fonte.

    Quem está dizendo isso? Quais as suas qualificações ou motivações? É um prêmio Nobel? Um site de teorias da conspiração? É alguém que pode ter uma agenda comercial ou política implícita? É claro que até um prêmio Nobel pode estar enganado, e que organizações e empresas com interesses políticos ou comerciais publicam muitas informações de qualidade. Ainda assim, antes de ler, procure conhecer melhor quem escreveu/publicou. Vale a pena gastar alguns segundos para estabelecer se a fonte em questão é confiável ou relevante, e até mesmo se o texto merece a sua atenção.

  3. Busque informações melhores.

    Outra estratégia é buscar a mesma informação em outras fontes que você conhece e nas quais confia. Qual a melhor fonte de informação que você consegue encontrar sobre isso? Faça uma busca e analise os resultados. Tente encontrar uma cobertura mais confiável, mais aprofundada ou mais equilibrada. Melhor ainda, procure descobrir se há consenso sobre essa afirmação. Você não precisa concordar, mas conhecer o histórico e o contexto de determinada afirmação irá lhe ajudar a ter uma melhor avaliação.

  4. Encontre o contexto original da informação.

    De forma intencional ou não, a internet pode ser um “telefone sem fio”. Afirmações, dados e imagens muitas vezes são retirados de seu contexto original e apresentados de forma isolada, oferecendo um recorte da realidade. Outras vezes, podem ter sido editados para criar uma nova mensagem. Elementos deixados de fora de uma imagem ou vídeo, legendas que não combinam com o que está na foto ou informações científicas superficiais são exemplos de mensagens descontextualizadas. Procure a informação completa.

Quer saber mais? Aprenda seis maneiras de usar a Busca do Google para verificar fatos e combater a desinformação.

Como valorizamos a qualidade da informação

Conheça os quatro princípios que guiam nosso compromisso de valorizar a informação de qualidade em nossos produtos e também a maneira como protegemos as pessoas de conteúdo duvidoso:

Remover

Cada um dos nossos produtos e serviços possui políticas que determinam como e por quem podem ser usados. Tomamos medidas contra conteúdo e comportamentos que desrespeitam nossas regras e realizamos dezenas de milhões de ações todos os dias contra conteúdo que não obedece às nossas diretrizes.

  • Somente em 2019, removemos mais de 30 milhões de vídeos do YouTube por violação das nossas diretrizes da comunidade.
  • 2,7 bilhões de anúncios foram bloqueados ou removidos globalmente em 2019. Só no Brasil, entre abril e junho de 2020, removemos anúncios de mais de 600 mil páginas e de 16 mil domínios por violação de políticas
  • Somos pioneiros na divulgação de relatórios de transparência contendo, por exemplo, dados sobre remoções de conteúdo ou solicitações de informações de usuários feitas por autoridades governamentais -- no Brasil, entre julho e dezembro de 2019, foram mais de 3700 pedidos desse tipo.
  • Também removemos mais de 75 milhões de comentários indevidos do Google Maps.

Saiba mais sobre as políticas das nossas plataformas aqui.

Recomendar

Destacamos fontes confiáveis e com conteúdo relevante quando as pessoas utilizam nossas plataformas. Para isso, primeiro tentamos entender a intenção do usuário. Em seguida, nossos sistemas buscam sinais que possam ajudar a determinar a credibilidade e a relevância das páginas sobre aquele tema, para podermos priorizar as fontes disponíveis mais adequadas. Para entender mais sobre como funciona a Busca do Google, lançamos em outubro o documentário “Trilhões de Perguntas, Nenhuma Resposta Fácil” (disponível com legendas em português).

Estamos sempre melhorando esses sistemas de classificação e desenvolvendo novas funcionalidades em nossos produtos para conectar as pessoas com informação de qualidade:

  • Em 2019, realizamos mais de 464.065 experimentos com avaliadores externos treinados na Busca do Google e com testes em tempo real, o que resultou em mais de 3.620 melhorias nesse produto. É como se fizéssemos mais de 10 melhorias por dia, durante um ano.
  • Criamos selos dentro do Google Notícias para ajudar as pessoas a identificarem reportagens cujas informações tenham sido verificadas por organizações independentes.
  • Desenvolvemos as prateleiras Notícias Principais e Últimas Notícias para ajudar os espectadores do YouTube a encontrar informações de fontes confiáveis na página inicial e também quando pesquisam sobre tópicos relevantes.
  • Quando uma notícia foi verificada por alguma agência parceira do Google, o YouTube pode exibir um painel de checagem de fatos que fornece mais contexto sobre o assunto. Esse recurso mostra se a declaração relacionada à pesquisa é verdadeira, falsa ou algo como "parcialmente verdadeira", de acordo com a verificação.

Reduzir

Trabalhamos para reduzir a propagação de informações potencialmente prejudiciais sempre que exibimos um conteúdo recomendado:

  • Em 2019, demos início a mais de 30 mudanças nos nossos sistemas de recomendação do YouTube, para reduzir as recomendações de conteúdos duvidosos que sejam prejudiciais.
  • Globalmente, conteúdo que quase viola as diretrizes do YouTube representa menos de 1% do que é recomendado por nossos sistemas.

Recompensar

Estabelecemos um alto padrão de qualidade e confiabilidade para editores e criadores de conteúdo que queiram monetizar ou anunciar conteúdo. Não queremos gerar receita financeira para nós, ou para outros negócios, que tenha como origem conteúdo ou comportamento prejudicial:

  • Em 2019, tomamos medidas contra aproximadamente um milhão de contas de anunciantes inadequadas. Também encerramos mais de 1,2 milhões de contas de editores e removemos os anúncios de mais de 21 milhões de páginas que usam nossos serviços de publicidade, devido a violações das nossas políticas.
  • Desde 2018, o YouTube adotou critérios mais rígidos nos requisitos para que um criador gere receita na plataforma. Além disso, esses canais estão sujeitos a revisões para garantir que continuem de acordo com nossas políticas.